... na beira da estrada, tá bichada ou tem marimbondo no pé!!!

domingo, 3 de agosto de 2008

Tem gente que é e tem gente que pensa que é...

Oi, gente. Lembram da vizinha punheteira? Pois é, não bastasse isso agora tem uma outra que pensa que é evangélica. Imaginem a cena: a maluca liga o rádio berrando música de igreja, enche a cara de cerveja e sai com o copo na mão gritando pro Senhor mandar fogo. Tomara que mande mesmo, que pegue fogo na casa dela pra eu rir bastante! Isso sem contar os palavrões que ela grita, os quais não posso reproduzir porque sou uma dama e não ficaria nem bem. Enquanto a maluca pensa que é crente sem ser, a outra é puta de verdade, por mais que não queira admitir. A vida não é engraçada? Uns querem ser (ou parecer) mas não conseguem, enquanto outros já têm um talento nato para a coisa mas tentam disfarçar... vá entender.
A verdade é que a vizinhança aqui vai de mal a pior. Quando não é a maluca-metida-a-protestante nem a puta, são os fofoqueiros, os invejosos, os mal-educados... Outro dia o filho do vizinho quebrou minha antena de TV com uma pipa. Vê se pode: os pais e avós da criança não querem que ele brinque em frente à própria casa para não fazer barulho no ouvido deles. Aí mandam o pentelho brincar em frente à casa dos outros e eu, que não tenho filhos e nem gosto de crianças, tenho de aturar esse tipo de coisa. Não preciso nem dizer que fui lá na casa dele com o pedaço da antena na mão...
Legal mesmo é a irmã do pentelho, uma menininha de apenas quatro anos. Um dia desses ela saiu lá da casa dela e veio jogar bola em frente à minha casa. O engraçado é que os pais e avós dessa criancinha adorável reclamam horrores das bolas que as outras crianças, que não são deles, jogam. É que pimenta nos olhos dos outros... Aí a vizinha de baixo abriu a janela e reclamou. Saca só o diálogo:
- Ô lindinha, não joga bola aqui não, joga lá em frente à sua casa, tá?
- Por que, tia? Por que você não gosta da bola?
- Porque bate na parede, faz barulho, se bater na janela pode quebrar um vidro...
- Hum! Pior é a casa da tia Fulana! Um nojo, tudo quebrado... a casa mais feia da vila! Bom mesmo se batesse uma bola na casa dela e quebrasse logo tudo, quem sabe assim ela toma vergonha na cara e faz uma obra nisso aí...
É mole? Imagina o que essa menina escuta em casa...
Afe! Eu é de saco cheio disso aqui. Sou boa demais pra morar nesse lugar. Meu salto alto do glamour é Puro Luxo Original e não serve para caminhar nesse solo de quinta. Não agüento mais essa gente favelada gritando, destruindo minha antena de TV, tomando conta da minha vida... assim vou lançar meu próprio "Movimento Chega": chega de tudo isso! Ontem estava doente de cama e nem sossego para descansar eu tive, cruz credo! Agora estou aqui arrasando na água tônica e no chá de boldo pra ver se meu estômago se recupera. É foda!
Antes de encerrar, deixa só eu contar do vizinho aqui do lado. Um dia eu saí da facul às seis da tarde e liguei para a vizinha de baixo que é minha amiga e disse: " saindo agora, vou dar uma passadinha aí na sua casa, me espera." E ela: "Ah, tá, esperando, mas deixa eu desligar que o Fulano está aqui na janela conversando."
Ok.
Depois disso, ainda fiquei até sete e meia da noite procurando um amigo que ficou de pegar uma matéria comigo. Quando o amigo chegou ainda parou para conversar. Daí chegou mais gente e eu fiquei conversando mais. Quando desci pra vir embora, passaram três ônibus que não pararam. Tá, tudo bem... respira... Quando peguei o quarto ônibus, ainda enfrentei um puta engarrafamento na Vinte e Quatro de Maio. Tudo bem... respira... Depois dessa verdadeira odisséia vocês acreditam que, quando cheguei à casa, o Fulano ainda estava na janela conversando? Pode falar, o cara é um desocupado, isso sim. PLA pra ele! Mandei-o embora, é claro: "Pode ir embora que você já está aqui há muito tempo e eu já cheguei... tem nada pra fazer não?" Eu hein...

2 comentários:

Amanda disse...

Respirar é uma arte...

Munique disse...

Antigamente vizinho era como membro da família. Me lembro que morei por 16 anos no mesmo lugar, desde que nasci. Meus vizinhos eram verdadeiros tios para mim, sinto até falta... Agora, vizinho é sinônimo de problemas e aborrecimentos. O pior é que todos acham que são donos de tudo e que podem fazer tudo, sem se importar com o direito de todos os outros. Quem sabe um dia as coisas melhoram e o ser humano se toca de que vivemos em sociedade, e de que o direito de um começa quando termina o do outro.