... na beira da estrada, tá bichada ou tem marimbondo no pé!!!

domingo, 21 de junho de 2009

Ver do que eu me livrei... não tem preço.

Olá, pessoas! Esses dias tive uma lição de vida e tanto. Eu sempre fui dramática, sempre tive auto-piedade e sempre reclamei da minha falta de sorte no amor. Toda vez que dava alguma coisa errada eu fazia o maior drama e reclamava horrores. Até passar e o próximo drama acontecer. Era um ciclo. Como eu sou pisciana, vamos duplicar o drama e a volubilidade. O tempo passou, eu continuei azarada, até que resolvi deixar isso pra lá. “Não dá pra amar e ser feliz ao mesmo tempo”, já dizia Nelson Rodrigues. Fazer o quê... Mas aí aconteceu uma coisa esses dias que me fez repensar tudo isso.


Quando eu era mais nova e ainda tinha fé, eu frequentava a igreja. Quem vai à igreja sabe que arrumar namorado lá é impossível, porque sempre que chega um homem solteiro a mulherada cai em cima que nem formiga em cima do açúcar e, somando isso à natural cafajestagem masculina, as chances de alguém ser feliz no amor são praticamente nulas. Além disso, tem o problema do jugo desigual. Crente só pode namorar crente. Senão é pecado e contra a vontade de Deus. Blá, blá, blá... Desse jeito, a única coisa que eu consegui na igreja foi me frustrar cada vez mais, porque o mercado era muito mais competitivo do que na vida real e porque eu não tinha o menor jogo de cintura. Assim eu desperdicei os melhores anos da minha vida e aprendi que religião é a maior palhaçada.


Naquela época, tinha um bofinho lá na igreja que ficou a fim de mim. Pediu meu telefone, me ligou e me chamou pra sair. Mas eu era burra e acabei dispensando o cara totalmente sem querer, e depois não soube como consertar a situação. Conclusão: ele arrumou uma outra namorada lá mas continuou olhando pra mim até que desapareceu completamente e eu segui me lamentando da minha falta de sorte. Daí eu me mudei, segui meu rumo, e continuei me lamentando. Até um dia desses quando, no trabalho, dei de cara com o bofe.


A escola em que trabalho entrou em obra porque agora o Governo do Estado está instalando ar-condicionado nas salas. Pelo o que eu entendi, tem uma empresa terceirizada cuidando disso, e o tal bofe trabalha nessa empresa. Foi aí que veio a epifania: ele é pião. Écati. Eu estava indo embora com um colega meu e dei de cara com ele, mas não reconheci logo. Aí ainda pensei, falei com ele... e lembrei. Mas como o colega tava junto e a gente tava com pressa, deixei pra lá. Nem sei se ele lembrou de mim, e também não quis saber. Fui embora e pronto. Depois nem encontrei mais.


O fato é que ele não evoluiu. Imagina se eu tivesse ficado com ele e o relacionamento vingasse. Onde será que eu estaria enterrada agora? E todos os meus anos de graduação? Eu hein, dei graças a todos os deuses do Olimpo pela falta de sorte que, na verdade, foi a melhor coisa que poderia ter acontecido. Depois disso comecei a pensar em todas as outras situações e me dei conta de que todas as minhas desilusões foram bem-vindas. Por três motivos: um é que todos os caras que eu perdi na vida não evoluíram, continuam enterrados em suas vidinhas medíocres, enquanto eu mudei bastante e segui em frente, enquanto poderia ter tido o mesmo fim. O outro é que tive um bom crescimento pessoal, o que não me matou me fortaleceu. E o último é o que eu sempre digo: é muito bom crescer sozinha, porque você sabe que o mérito é só seu, e isso é infinitamente mais gratificante do que precisar sempre de alguém pra de empurrar. Fiz até uma lista dos fracassados:


Meu primeiro namorado está até hoje enfiado na casa dos pais. Era militar, mas da última vez que eu tive notícias ele estava para pedir baixa porque é um fracassado que não consegue terminar nada na vida e não se adaptou à carreira com a qual ele havia sonhado tanto. Já começou umas três faculdades e não terminou nenhuma, enquanto eu já tenho até orientadora pro mestrado. Vai acabar igual ao pai dele, sustentado pela mulher.

Meu segundo namorado é outro fracassado que só sabe reclamar da vida e se lamentar porque me perdeu. É uma criatura depressiva que não consegue se ajudar e nunca conquistou nada na vida. Mora no mesmo lugar desde que nasceu, não construiu uma carreira e, como passou a vida agindo como um perfeito canalha, agora colhe os frutos.

Meu terceiro namorado também é outro chato e, apesar de ser o mais evoluído, só sabe reclamar da vida, se lamentar e não consegue ver o lado bom de nada. Nunca vai conseguir ser feliz no amor, a menos que encontre alguém tão chata quanto ele. E mesmo assim os filhos correrão grande risco de Chatice Crônica, doença grave que faz com que a criança não tenha amigos e que ninguém goste dela. Agora ele está namorando uma amiga dele de anos, só que antes ele falava mal dela porque ela era obesa, piranha e bêbada. Agora estão lá juntinhos. Vai entender...

Agora os peguetes e demais desilusões: um é um idiota mal resolvido que se apaixona a toa, já ficou noivo uma porrada de vezes mas não dá certo com ninguém. Tem baixa auto-estima e problemas de rejeição familiar, o que acaba resultando em uma necessidade absurda de parecer legal. Também está até hoje enterrado na Zona Rural e frequenta a igreja todo domingo.

O outro já era cheios de problemas em casa e casou com uma menina mais nova que eu, também cheia de problemas em casa, dos quais muito provavelmente estava doida pra se livrar. Da última vez que tive notícias soube que eles brigavam muito, mas como a Bíblia condena o divórcio, continuam casados. Fora isso, continuam enterrados na Zona Rural e frequentam a mesma rodinha de amigos de sempre, os mesmos lugares de sempre e a mesma igreja de sempre. O cara tem o mesmo emprego de sempre, em uma empresa privada, que pode demiti-lo a qualquer momento, mas ele é muito sem ambição pra tentar algo mais sólido.

O outro é um policial que eu nem sei que fim levou. Da última vez que tive notícias ele estava morando na Barra da Tijuca com a namorada que eu nem sabia que ele tinha, mas que, segundo ele, o relacionamento estava bastante desgastado. Como ele é choco e não gosta de ficar sozinho porque não deve achar sua própria companhia muito agradável, está morando com ela e se não tomar cuidado vai morrer em mais uma pensão pra pagar no futuro. Problema dele, odeio gente emocionalmente dependente. Essa parada de abrir mão da minha vida em prol da vida dos outros não é pra mim. E como eu já disse os homens têm por hábito jogar tudo pra cima da gente. As mulheres que caem nessa se perdem pelo meio do caminho e ficam sem vida própria. Isso sem contar que, se ele traiu a tal namorada comigo, muito provavelmente me trairia com qualquer uma que aparecesse no caminho. Próximo!

O outro foi um estudante de direito metido a importante. Só que ele mora na favela, estuda na pior faculdade da cidade e pensa que é bonito. Nem preciso dizer o resto, né.

E por último temos o idiota da feira. Ele continua lá na pqp, sozinho, sem vida social e vai continuar assim pra sempre, porque ele é tão sem noção e tão vazio – profundidade de um pires – que se alguém ficar com ele será meramente por interesse na estabilidade financeira. Como eu sou boa demais, criativa demais e preciso da agitação da cidade grande, dou graças aos deuses do Olimpo pelo fora da feira. Além disso, a estabilidade financeira dele não é suficiente pra mim. Sou boa demais pra isso também, mereço coisa melhor.

Depois de fazer a lista percebi que nada é por acaso. Se existir algum tipo de Força superior no Universo, foi essa Força que me livrou de todas essas furadas e, pela fé do café, tem um bofe à altura esperando por mim em algum lugar. Só que agora eu tô com preguiça de procurar, então vou esperar que ele me encontre ou então que a tal Força o jogue no meu colo. Por hoje é só. Beijos e até a próxima.


6 comentários:

Carla disse...

É.. Realmente tem coisas q não tem preço! rsrs E eu q tb tenho aquela sorte no amor, estou como vc, esperando q as forças do universo joguem no meu colo o moreno, alto, bonito, sensual, inteligente, engraçado, etc etc, q eu mereço! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Designer(a) disse...

Bem, sobre esse assunto só tenho a dizer uma coisa: Aguardo a boa vontade de Deus.
Esse lance de ficar caçando daqui, dali ,não dá certo. Nem sei pq as pessoas dão tanta prioridade pra isso, já que uma estabilidade financeira, saúde e estrutura familiar , são coisas mil vezes mais mportantes em nossas vidinhas...enfim....

Se Deus achar que uma pessoa vai ter uma boa companhia algum dia, é só aguardar. Caso não seja a vontade d'Ele, é ir vivendo a vida da melhor forma possível sem reclamar e pronto.
Nessas horas fico feliz por não ter "histórico cavernoso" <- mensagem subliminar....Eheheheh

Anônimo disse...

minha amiga,te falta sorte mesmo ou outra coisa...
Na lista dos seus ex,só tem coisa ruim!
Será que o problema não está em você?
Porque não deixa estes deuses do Olimpo que não tem resolvido nada e vá buscar o UNICO que pode resolver tudo?
Tá aí a sugestão de quem fez isso ,e hoje é muito feliz ao lado de um homem com algumas graduções,mestrado e filhos lindos.
espero ter ajudado!
Fica com Deus

Bruna Gonçalves disse...

Olá, coleguinha anônima. Só para constar, metade desses imbecis supra citados são crentes. Eu já fui crente um dia mas não me orgulho desse passado negro, simplesmente porque esse seu Deus nunca fez porra nenhuma por mim. Sou muito mais feliz agora que posso simplesmente ser eu mesma sem me preocupar com asneiras de "certo" e "errado". Você não ajudou nadinha com sua experiência de filhos lindos e, caso não tenha parado pra pensar, existe uma coisa chamada "verdade do texto", ou seja, nem tudo o que é escrito em literatura é verdade. Mas isso talvez o seu marido mega inteligente com Mestrado e muitas graduações possa te explicar. Outra coisa: por esses e outros comments anônimos fiz duas mudanças nas configurações do blog: proíbi comentários anônimos e coloquei moderação. Agora o comentário só aparecerá depois que euzinha (a Rainha da Cocada Preta) deixar. Sem mais,

xoxo

Bruna.

Conto Sem Fada disse...

hahahaha,vc é mto engraçada.. nem sabia...mas diga, comé q vc deu chance p uns tipos q hj não concebe de forma alguma?? q doida.. ok, ok.. as vezes a gente perde a linha nas escolhas..dá moral p un caras q - deus! - mas poxa..corte esse seu dedo podre..
e outra: antes só.. né?
bjox

Bruna Gonçalves disse...

Huahaha... Poi zé, menina, nem eu sei como eu pude. O importante é que me conscientizei a tempo. Quanto ao dedo podre, já cortei. Bjs!