... na beira da estrada, tá bichada ou tem marimbondo no pé!!!

domingo, 19 de outubro de 2008

O pum

Oi, gente! Olha, não é por nada não, mas quase que o post de hoje não sai. Mas aí vi dentro da minha cabeça a minha amiga C. falando: “Cadê o post? Primeiro a obrigação, blá, blá, blá...”. E tomei vergonha na cara... hehehe... O fim de semana foi badalado, fui à Festa Ploc na sexta, lá no Circo Voador, cantei todas as músicas das Paquitas, tirei uma porção de fotos e ainda filmei o povo fazendo os passinhos dos anos 80. Muito bom! E ontem fui jantar no Outback. Cara, tudo bem que a comida é boa, mas tem fila pra entrar na fila e você passa mais tempo esperando do que lá dentro comendo. E não sei por que, mas não gostei do Outback da Barra. Acho que é porque não gosto da Barra. Acho o de Botafogo muito mais animado, logo a gente passa mais tempo lá dentro e a fila acaba valendo a pena. Então, dica do blog: se forem ao Outback, vão ao de Botafogo, naquele shopping que tem perto do Canecão.
Bem, vamos ao assunto de hoje, que são os gases, vulgarmente conhecidos como “pum”. Semana passada eu estava assistindo ao CQC, um programa de televisão que passa na Band toda segunda à noite. Para quem nunca viu, trata-se de um programa de humor que zoa a cara de todo mundo, mas de um jeito que realmente fica engraçado e não patético, como o Casseta & Planeta e o Pânico na TV. Estes pensam que são engraçados, mas o CQC é engraçado de verdade, e tem um quadro chamado "Top Five", que mostra as cinco coisas mais engraçadas e sem noção que passaram na TV durante a semana. Quem sempre aparece nesse quadro é a Maísa do SBT, e quem já viu sua atuação sabe bem o motivo. Para quem não lembra, Maísa é aquela garotinha de seis anos que apresenta um programa pra crianças aos sábados de manhã e no domingo participa de um programa com o Sílvio Santos. Eu não assisto, é claro (antes que vocês pensem mal de mim... rsrs...), mas já vi suas pérolas no Top Five e no Youtube. Aí na última segunda-feira a pequena Maísa apareceu no Top Five por causa de uma conversa sua com o Sílvio Santos nesse tal programa de domingo. Eis abaixo a reprodução do diálogo, com as devidas marcas de oralidade, é claro.

(...)
Maísa: Eu tô com dor de barriga...
Sílvio: Outra vez? O que você anda comendo, que está com dor de barriga?
Maísa: Não, é que desde lá de dentro eu tô com dor de barriga.
Sílvio: Como é que é? Quer ir no banheiro, ou não?
Maísa: É gases...
Sílvio: O que é que é? Não entendi...
Maísa: Era gases mesmo...
Sílvio: Mas Maísa...
Maísa: Já soltei uns aí...
Risos da platéia.
Maísa: O que que tem? Todo mundo solta pum aqui! Não tem ninguém que é seco, segurado!
Sílvio: Mas ô Maísa...
Maísa: Tá passando um fedorzinho aqui...
Sílvio: Maísa, presta atenção (...), você já imaginou a Hebe Camargo falar isso no programa?
Risos da platéia
Maísa: (...) quê que ta rindo de mim?...
Sílvio: Você já imaginou a Hebe Camargo falando isso que você falou no programa? Você conhece a Galisteu?
Maísa: Claro que sim!
Sílvio: Já imaginou a Galisteu falando isso no programa?
Maísa: O quê?
Sílvio: Isso que você falou. Você não falou “tô com gases”?
Maísa: Gases, é mesmo, tô com gases! Todo mundo fica com gases...
Sílvio: Mas não pode falar...
Maísa: Por que eu vou esconder minha vida?
(...)

Agora vejam vocês. Eu já disse aqui que não tenho afinidade com crianças, mas essa realmente entende das coisas. Adorei a parte em que diz que “ninguém é seco, segurado”. Me fez até refletir. Acho que o pum deveria ser algo aceito pela etiqueta, porque não tem nada mais desagradável do que não poder soltar um pum quando se tem vontade. Um pum reprimido até se vinga da gente, se prende cada vez mais lá para dentro e, quando você tenta soltá-lo mais tarde, ele se recusa a sair, causando terríveis dores no tórax e abdômen. É péssimo! Uma vez fui parar no hospital por causa de uma crise de gases. Horrível! E todo mundo solta pum, poxa, então qual é o problema? Outro dia estava lendo um livro e a personagem dizia que a certa altura da vida o avô dela passou a soltar gases em público. Só que o cara andava nas altas rodas da sociedade e mesmo na frente dos figurões ele soltava pum. Quando a avó dela reclamava, ele dizia: “Que é que tem? O comendador também solta pum!” Certíssimo! E parece que o pum advinha exatamente quando podemos ou não podemos soltá-lo. Reparem só. O pum só aparece nos momentos mais impróprios. Quando a gente está sozinho em casa, com toda a liberdade, nem lembra que ele existe; mas experimente sentar numa rodinha de amigos. Logo o pum quer sair e você não pode fazer nada. Daí você resolve levantar e ir ao banheiro dar uma aliviada. Pronto! Lá vai o pum se esconder, resolve não sair mais. Parece até um protesto, quer ser solto na frente de todo mundo. Basta você voltar para a rodinha que ele volta a querer sair! E vai nesse inferno a noite toda. E no fim das contas ele ainda se vinga de você pela repressão e só sai com muito laxante, chazinho e Luftal. Eu sou a favor da liberdade do pum, soltemos pum em público e pronto! Acho que deveria ser assim: zona para peidantes e não peidantes. Quando a gente vai a um restaurante não tem o lado dos fumantes e não-fumantes? Então, deveria ter uma zona para aqueles que querem soltar seus gases e outra para os que não querem. É claro que, assim como a ala dos fumantes, a dos peidantes seria em local arejado, perto da janela, ou até mesmo ao ar livre. Pensemos nisso. Por hoje é só, mas segue abaixo o link do Youtube onde o vídeo da Maísa pode ser visto. Beijos para todos e até semana que vem.

3 comentários:

Bianca disse...

tá safado heim.....o ibope naum pode cair heim.....rsrsrs

Lara Gouveia disse...

Tá não honey, já recebi elogios by Orkut. Desculpe, mas não sei conviver com o fracasso, tinha que responder... kkkkkkkkkkkkk............ Bjooos!!!

Amanda disse...

hahahahaha

Fazia um tempo q não lia seu blog... me faz dar tanta risada!!

Deveria ter mesmo uma legislação pra regular o pum... pq pum fedido tbm ngm merece...